Freezer em dia: Frutos do mar

Começando a última parte de nossa série sobre alimentos congelados vamos falar de peixes e moluscos. Eles precisam de um cuidado especial principalmente na hora de descongelar. Confira também as outras dicas: na primeira parte falamos sobre alimentos proibidos, na segunda parte ensinamos a congelar e descongelar bovinos, suínos e embutidos, e na terceira parte foi a vez das aves. Agora chegou a hora de aprender sobre frutos do mar. Vamos lá?

Para começar vamos falar dos peixes. Eles devem ser bem frescos ou já resfriados. Se descongelarem durante o transporte, só podem ser congelados sob a forma de pratos prontos. O bacalhau pode ser congelado cru, retirando todo o sal. A embalagem ideal é o saco plástico ou papel aderente, podendo ser usado o processo de congelamento individual, como no caso dos bifes.

O camarão só pode ser congelado cru, sem a cabeça ou totalmente limpo. Para armazenar deve-se lavar bem e banhar numa solução uma colher (chá) de sal para cada litro de água; para congelamento do camarão limpo cozido, deixar ferver por apenas 5 minutos, resfriando em seguida em porções individuais.

Siris, caranguejos e lagostas devem ser limpos e bem lavados e escaldados por 15 minutos. Já as ostras e mariscos só podem ser congelados frescos, lavando bem e levando ao fogo com pouca água para que as conchas se abram; resfriar rapidamente e embalar com ou sem as conchas.

Tempo de congelamento

Peixes magros e moluscos podem ser mantidos por seis meses congelados, já os peixes gordos, por três meses.
Anote sempre e cole com uma etiqueta a data de quando o alimento foi guardado para não se esquecer.

Descongelando

Os peixes e moluscos podem ser descongelados no refrigerador. Para acelerar o processo pode-se desgelar o peixe sob água corrente ainda embalados ou no formo, se forem para assar. Uma dica é colocar rodelas de batata sob o peixe, para não grudar na assadeira. Moluscos podem ir diretamente ao fogo com molhos e refogados ou na frigideira.

Freezer em dia: aves

Vamos à terceira parte de nossa série sobre alimentos congelados. Na primeira parte trouxemos exemplos de comida que não pode ir ao freezer e na segunda parte falamos de carne de boi, porco e embutidos, Hoje vamos ensinar como lidar com aves.

Para congelar uma ave inteira crua deve-se passar manteiga para evitar ressecamento. Os miúdos devem ser retirados e embalados separadamente e a cavidade preenchida com papel ou plástico. No caso de frango a passarinho ou em pedaços, o congelamento pode ser feito individualmente, como no caso dos bifes, em porções isoladas para cada refeição.

O saco plástico é a embalagem mais prática para o congelamento de aves, cujos ossos podem escurecer durante o processo, fato que não interfere no sabor ou qualidade.

Tempo de congelamento

No caso das aves, o tempo é parecido. Frango pode ficar guardado no freezer por nove meses; o peru, por oito meses; codorna, seis meses; pato, quatro meses; e os miúdos devem ficar até apenas três meses.

Anote sempre e cole com uma etiqueta a data de quando o alimento foi guardado para não esquecer.

Descongelando

Deve ser feito de um dia para o outro no congelador, mas pode-se acelerar o processo da seguinte forma: mergulhe a embalagem num recipiente com água fria. Para caldos ou sopas, os pedaços podem ser colocados ainda congelados na panela com água fria. Para assar, leve a ave envolvida em folha de alumínio ao forno, em baixa temperatura; tempere e leve ao forno novamente em alta temperatura.

No próximo post, o último da série, vamos ensinar a armazenar frutos do mar. Não perca!

Freezer em dia: Carne bovina, suína e embutidos

Na primeira parte da série “Freezer em dia” você viu que alguns alimentos não devem ser congelados. Hoje, vamos passar dicas de como guardar carnes suínas, bovinas e embutidos. Todos os tipos de carnes podem ser congelados, bem como os miúdos e os derivados, mas saiba que mesmo assim elas têm um período de validade. As peças devem estar frescas, e dê preferência para aquelas que foram congeladas cruas, como as vendidas nas épocas de entressafra. Não se deve lavar e temperar a carne antes de ser congelada. Apenas tire os ossos e o excesso de gordura. A embalagem ideal é o saco plástico ou de papel aderente, pois as folhas de alumínio são difíceis de soltar da carne congelada e também ocasionam ressecamento. A carne deve ser embalada sem ser dobrada e só pode ser descongelada uma vez, por isso guarde em porções isoladas para cada refeição. Para evitar infecção, recomenda-se guardar em uma embalagem hermeticamente fechada, sem entrada de ar.

Tempo de congelamento

O tempo varia de acordo com o tipo de carne. Por exemplo: a carne bovina fresca pode ficar até 12 meses, já a processada não pode passar de dois meses, assim como linguiças, salsichas e bacon. Carne moída e hambúrgueres devem ser mantidos congelados por até três meses. Presunto e tender podem ficar até quatro meses no freezer, e a carne de porco 6 meses. Anote sempre e cole com uma etiqueta a data de quando o alimento foi guardado para não se esquecer.

Descongelando

O descongelamento ideal de carnes é efetuado no refrigerador, de um dia para o outro. Caso não seja possível, você pode fazer das seguintes formas: – Bifes e Hambúrgueres podem ser fritos ainda congelados em fogo forte, numa frigideira com tampa, deixando uma abertura para não cozinhar. – Carnes para assar podem ser levadas ao forno envolvidas em folha de alumínio até descongelar parcialmente. Tempere e leve novamente ao forno para terminar o descongelamento e assar. – Carnes para fazer sopas e salsichas devem ser colocadas em uma panela com água fria para cozinhar. Havendo necessidade de refogar, cozinhe a carne moída em fogo baixo numa panela tampada com os temperos, sempre mexendo com uma colher para não grudar. – Salsichas e linguiças devem ser descongeladas numa panela com água e óleo. Ao secar a água, automaticamente terá início a fritura.

No próximo post vamos ensinar a armazenar aves. Não perca!