A imagem está relacionada ao conteúdo do texto, sobre os tipos de comprovação de renda que as pessoas precisam conhecer.

Tipos de comprovação de renda que você precisa conhecer

Para realizar o sonho do apê próprio com a Morar, você precisa apresentar alguns documentos, entre eles, um comprovante de renda.

Você sabe quais são os tipos de comprovantes existentes? 

Continue lendo para descobrir!

O que é um comprovante de renda? 

Antes de tudo, vamos entender o que é um comprovante de renda?

O comprovante de renda é um documento capaz de mostrar para uma instituição financeira quais são os seus rendimentos mensais, sejam eles fixos ou variáveis. 

É a partir desse documento, por exemplo, que os bancos e instituições financeiras definem limite de crédito a ser ofertado ao cliente e quais tipos de serviços são mais apropriados para sua renda e perfil. 

Em nosso caso, é o comprovante de renda que vai definir quanto de subsídio para a compra do apê próprio será liberado. 

Quanto menor a renda, maior o subsídio!

Para que serve o comprovante de renda?

A principal importância da comprovação de renda está em garantir, para o banco, a capacidade do cliente em arcar com o seu compromisso. Os documentos são fundamentais para qualquer operação de crédito que você pretende realizar, como: 

  • Aumento no limite de crédito
  • Financiamentos 
  • Empréstimos pessoais 
  • Consórcios 
  • Aluguel e compra de imóveis (o nosso caso!)

Principais documentos que servem para comprovar renda

Tanto os trabalhadores autônomos, quanto os funcionários de carteira assinada, conseguem comprovar renda por meio de variados documentos, o que facilita o processo. 

Desse modo, no momento de obter crédito junto a uma instituição financeira, o comprovante de renda é um documento indispensável.  

Nesse sentido, vários documentos podem cumprir a função, como o holerite, a carteira de trabalho, o extrato bancário, a Decore e a DIRPF.  

Saiba mais sobre eles!

Holerite

É conhecido como contracheque, sendo que todo trabalhador, com registro em carteira, recebe esse documento ATÉ o 5° dia útil de cada mês com o seu salário. 

Com certeza essa é uma das maneiras mais fáceis e práticas para se conseguir a liberação de um crédito, uma vez que neste documento estão detalhados o salário bruto do trabalhador, bem como o seu salário líquido após os descontos.

Carteira de Trabalho

Também serve como um comprovante de renda, embora tenha a mesma função do holerite, ela pode ser apresentada caso o trabalhador não encontre os últimos 3 holerites. 

Contudo, se o trabalhador possuir ganhos acima do valor registrado em carteira, como comissão de vendas e bônus de participação nos lucros da empresa, esse documento pode não ser suficiente dependendo do valor da parcela. 

Decore

A Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos é um documento que poucos conhecem e é elaborado por um profissional da contabilidade, ou seja, um contador. 

Mesmo sendo pouco conhecido, as instituições financeiras aceitam o DECORE como comprovação de renda, sendo esta uma excelente opção para você que é autônomo ou um pequeno empresário. 

Extrato Bancário

Você que é um profissional liberal ou freelancer, pode adotar o extrato bancário como alternativa para a comprovação da renda. Em geral, é essencial mostrar os comprovantes de seus últimos seis meses.

Nessa circunstância, o ideal é ter todos os seus débitos em uma mesma conta corrente. 

O grande problema do extrato bancário é que nem todas as instituições financeiras aceitam esse documento como comprovante de renda, principalmente em casos de financiamento imobiliário e de automóveis.

DIRPF

Por fim, um documento que também pode ser aplicado como comprovante de renda é a Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF). 

Esse documento é emitido todos os anos através de um profissional que registra a sua renda total, além dos bens que estão em nome dele.

Porém, conforme esse documento comporta os valores do ano anterior à emissão, isso não necessariamente representa a renda atual do trabalhador.

Por isso, é comum ter que apresentar outros registros, como extratos bancários ou carteira de trabalho.

Gostou de ficar por dentro dos diferentes tipos de comprovação de renda?

Comprovando minha renda de forma conjunta

Além disso, você também consegue comprovar renda de forma conjunta.

Alguns bancos limitam o número de pessoas que podem compor a renda, mas a Caixa Econômica Federal apenas exige que todos passem pelo mesmo critério de avaliação onde é necessária a aprovação. Ou seja, pode ser financiado por mais de duas, três, quatro, cinco pessoas…  

O fator é variável de banco para banco, mas geralmente se enquadra como tipo de relação aceita para composição de renda:

  • Cônjuges
  • Namorados
  • União Estável
  • Padrasto
  • Madrasta
  • Enteado
  • Pais e irmãos
  • Sogros
  • Filhos
  • Tios e primos

Mas a composição da renda não precisa ser feita apenas entre os citados acima. 

Pode ser entre qualquer um! Qualquer um mesmo, até amigos!

O que está esperando? Clique aqui e entre em contato com um dos nossos corretores para comprovar a sua renda e garantir o seu Morar!